Será que Michael Jackson está morto?!

Pois é… A suposta morte de Michael Jackson deixou inúmeras dúvidas no ar desde que foi anunciada. A todo instante surgem na internet teorias que “comprovam” que tudo pode realmente ter sido uma farsa – ou HOAX, em inglês. Fiz uma seleção de alguns fatos que considero no mínimo suspeitos, dentre os milhares e milhares que li na internet…

1. Dave Dave

Ok, todos sabem que Dave Dave é um homem que, quando criança, foi queimado pelo pai, e ajudado por Michael Jackson. Seu nome original era David Rothenberg, e ele mudou de identidade em virtude do trauma que sofreu, por não querer ter nenhuma relação com o nome do pai.

Bom, o Dave Dave original é este:

E quem apareceu no programa do Larry King alguns dias depois da morte do Michael foi este:

Se parece com alguém?!

 Ou quem sabe…

 

Ainda não está convencido?!

Que tal este vídeo?!

A voz… O jeito de olhar, de se mexer. Te lembra alguém?!

Tirem suas próprias conclusões!

Anúncios

Razões para suspeitar de uma farsa

“Alguns” motivos interessantes para se pensar em uma possível farsa:

 

  • A suposta última foto de MJ foi tirada enquanto ele estava passando pelo procedimento de ressuscitação dentro da ambulância que o transferia da sua casa para o hospital (UCLA). No entanto, os vidros da janela da ambulância são escuros, possivelmente com película, ou mesmo pintados de preto. Como alguém poderia tirar uma foto tão clara através daqueles vidros escuros ou pintados, e ainda assim obter a resolução elaborada que se observa na imagem?
  • Cirurgião plástico agora destaca “equívocos” nos relatórios oficiais da autópsia do corpo, inclusive informações incorretas sobre prótese nasal.
  • Jornal destacado em inglês havia publicado em janeiro de 2009 manchete de capa dizendo que morte de Jackson aconteceria em seis meses.
  • Pai de Michael Jackson desconhecia paradeiro do corpo do cantor. Apesar de suspeitar que algo criminoso esteja envolvido com a morte de Michael Jackson, Joe Jackson disse não saber o que de fato aconteceu. Disse que estava impedido de ver ou falar com seu filho nos dias que antecederam a morte de Michael. O pai de Michael deu a entender que ficou de fora de várias atividades familiares nas semanas anteriores à morte do cantor.
  • Questiona-se constantemente o motivo da enorme demora na divulgação dos resultados das autópsias.
  • Vídeo com momentos finais de MJ desaparece – As imagens que poderiam revelar o que aconteceu no dia 25 de junho, sumiram misteriosamente da mansão do astro. Segundo o “National Enquirer”, autoridades responsáveis no caso afirmaram que a mansão da família Jackson era equipada com um forte sistema de segurança. “Havia câmeras do lado de fora e também dentro da residência”, revelou uma fonte policial. Curiosamente, as imagens que foram registradas pelas tais câmeras não foram encontradas.
  • Promotor é demitido após dar entrevista na TV sobre caso Michael, dizendo: “Acho que há muitas dificuldades nesse caso.”
  • A polícia está absolutamente confusa com o caso. “Com o que lidamos? O que eu posso dizer a vocês é que eu não tenho as respostas para essas questões”, declarou o chefe da Polícia de Los Angeles à emissora CNN.
  • Logo após a morte, Janet Jackson foi vista entrando na mansão de Michael para acompanhar o serviço de funcionários de uma companhia de mudança. Em seguida, sai da casa um enorme caminhão de mudanças. De acordo com o site “TMZ”, o veículo transportava objetos pessoais do astro com destino a um armazém ainda desconhecido. Tudo isso feito antes da perícia da Polícia de Los Angeles.
  • O atestado de óbito de Michael foi acessado irregularmente através do sistema de dados da polícia de modo estranho e por centenas de vezes.
  • Legalmente, o corpo do cantor só poderia estar no cemitério Forest Lawn. Foi onde aconteceu o velório com a presença da família e é o que está escrito no atestado de óbito.O documento registra a morte no dia 25 de junho. Diz que o corpo está no cemitério Forest Lawn, mas apenas “temporariamente”. Apesar disso, nenhum sinal do corpo. Foi um fim de semana comum no cemitério. (G1 – 13/07/2009)
  • Ele estaria ‘ótimo’ e ‘ensaiando’ pouco antes da “morte”.
  • A ambulância dos bombeiros demorou quase uma hora para remover o “corpo” de sua casa para o hospital, mesmo sabendo que nenhum procedimento mais complexo poderia ser feito na residência.
  • O médico de MJ ficou desaparecido por dois dias após o anúncio da morte.
  • Caixão fechado (ninguém viu o “corpo”).
  • Não é no mínimo estranho que tenha havido o registro uma poucas horas depois de um domínio chamado http://www.michaeljacksonhoaxdeath.com/ numa tradução livre “morte-de-michael-jackson-foi-forjada.com”? Pois foi o que aconteceu. Pode consultar aqui no visualizador oficial de domínios da internet. Mais estranho ainda é que, poucas horas depois da morte, este site da Califórnia já tenha apresentado uma série de eventos suspeitos de forma bem elaborada.
  • Michael supostamente tinha dívidas monumentais.
  • Qual motivo haveria para a família em 13/07/2009 pedir a remoção da cripta onde MJ estaria para um porão, por “razões de segurança”?
  • O que justificava a existência de várias passagens secretas em Neverland? (Segundo matéria do G1 em 05/07/2009, havia escadas que davam em salas repletas de portas e passagens que ‘aparentemente’ não levam a lugar nenhum. “Michael amava passagens secretas. Há várias aqui na casa”, revela a atriz que conduziu a reportagem. No quarto de Michael, ela mostra outro esconderijo, com três trancas, o que indica uma passagem secreta.)
  • Quem ligou para o 911 estava calmo demais.
  • Ninguém sabe pra onde seu corpo foi levado após o memorial.
  • Os médicos não falam a causa da morte.
  • O presidente dos EUA, que era fã do astro, só se pronunciou sobre o fato uma semana depois e não foi ao enterro.
  • Um médico particular que abandona a própria carreira para se dedicar a um único paciente, justamente na hora mais crítica não acompanha seu “único” paciente ao hospital?
  • Michael costumava se disfarçar.  Ultimamente chegou a ir ao Oriente Médio disfarçado de mulher para fazer compras.
  • A demora no resultado da autópsia, e na divulgação de informações.
  • Após a cerimônia a família “enlutada” foi “comemorar” num restaurante badalado.
  • Antes de MJ chegar ao hospital, a CNN já dava Michael como morto.
  • Deixa um testamento em um fundo que o empresário e sócio administram.
  • Nos EUA, existe uma lei que diz que se tentarem te matar duas ou três vezes você pode mudar sua identidade e até forjar a própria morte.
  • Um grande estoque de coisas que MJ tinha leiloado para pagar dívidas foi comprado por um suposto colecionador anônimo.
  • Por que alguém que não faz shows desde 2006 teria uma turnê marcada, coincidentemente, para cerca de uma semana depois de sua morte?
  • O plano já teria sido traçado há muito, como mostra a letra de sua música Morphine, que fala sobre ataque cardíado, morfina e sobre o remédio Demerol.
  • No telefonema de emergência, em NENHUM momento o nome de Michael Jackson foi citado, apenas de um “homem que estava mal”.
  • Elizabeth Taylor, que era amiga íntima, disse que o evento do memorial era um “circo”.
  • Um caixão possivelmente vazio foi apresentado no espetáculo da despedida coletiva onde os ingressos não foram cobrados, ou seja: “foi quem quis”. Ninguém pode contestar nada judicialmente.
  • Seu atestado de óbito fala apenas que o morto é um homem negro morto por causa ainda indefinida.
  • Produtos relacionados aos shows de Michael Jackson que deveriam ocorrer na O2 Arena, em Londres, estão sendo comercializados normalmente – mesmo após a morte.
  • O empresário e sócio não vão ao velório, sequer o médico particular se faz presente. (Conrad Murray, médico do astro, não foi ao funeral)
  • Depois do velório, em vez de levarem o caixão para o cemitério sumiram com ele!
  • Na ligação para a emergência, quem liga diz que o homem desmaiado está deitado na cama, e que o médico tentava reanimá-lo. Uma pessoa formada em medicina não saberia que massagem cardíaca deve ser feita em uma superfície dura?
  • Antes de ‘morrer’, assina um contrato para uma série de apresentações. Diz que não leu o contrato (?), compromete-se a 50 shows, pensando que eram apenas 10.
  • Michael usava até mesmo nomes falsos para conseguir a medicação que ‘precisava’.
  • Sabe-se de que uns tempos pra cá, Michael usava manequins e até mesmo o sósia pra despistar a imprensa.
  • Antes de MJ chegar ao hospital, a polícia já estava lá, interditando a passagem de todos.
  • O pai, Joe Jackson, afirmou à ABC News que ele suspeita das circunstâncias que envolvem a morte do seu filho.
  • No funeral não houve cadastramento de credenciais para Jornalistas. O Michael era uma pessoa pública, todos os jornais, sites, rádios estavam voltados para a cobertura da “morte” dele. É claro que deveria haver o cadastramento da imprensa para a cobertura do funeral. Deste modo, a imprensa teve que conseguir um ingresso e ficar, no meio da platéa, narrando o que estava acontecendo. Mas ninguém viu, filmou, fotografou, registrou nada pelos bastidores.
  • O médico teria vindo a pouco mais de uma semana trabalhar com Michael, avisando sua clientela de que iria para uma “missão especial”.  
  • A pessoa que apareceu na coletiva de imprensa sobre os Shows em Londres já era um impostor.
  • Há tempos Michael Jackson vinha treinando sósias.
  • As cenas da ambulância que levou o cantor para o hospital mostram um caminhão mais lento que aqueles do gás que ficam tocando musiquinha. Isso era uma ambulância?
  • Agora o IML de Los Angeles quer ver todos os registros médicos de Michael Jackson. (Ver registros médicos e dentários anteriores é procedimento quando se está em dúvida quanto à identificação do corpo…)
  • “Se Michael Jackson estava tratando um quadro de dor muito forte, ele aguentaria mais morfina”, diz o anestesista do Hospital São Luis Daniel Oliveira. Isso porque o organismo cria mecanismos de resistência aos efeitos e necessita quantidades maiores para que a droga faça efeito.
  • A amiga Oprah Winfrey não fez até o momento qualquer mínima menção à morte do cantor, despertando a curiosidade dos fãs.
  • O alarme de incêndio do hospital (UCLA) estranhamente soou durante o atendimento do cantor, e então o prédio teve de ser evacuado.
  • Os profissionais que atendiam ao artista dão relatórios médicos grandemente conflitantes sobre o uso de medicamentos por parte de MJ.
  • O próprio cantor sabia que não estava em condições de realizar uma série de 50 shows, mas acabou cedendo à pressão de pessoas às quais devia dinheiro. “Não sei como vou fazer 50 apresentações. Estou muito nervoso“, disse Michael em uma ocasião.
  • Há relatos divergentes sobre a ocasião da morte: Joe Jackson disse algo sobre ele ir para a cama noite do dia 24 e não acordar mais. Outros relatórios indicam que ele levantou-se no dia 25 de Junho, andou até o quardo do Dr Murrays dizendo que não estava sentindo bem, e então caiu ao chão, e em outras versões afirma-se que os cuidados médicos foram prestados na sala. A irmão Latoya diz que Michael foi encontrado no quarto de Murray, não no seu próprio quarto.
  • Não foi feito o exame de DNA para confirmação da identidade. (Uma pessoa que teria feito 12 cirurgias plásticas só nos útlimos meses poderia ser identificado civilmente apenas por reconhecimento visual?)
  • O Staples Center, ginásio onde foi feito o funeral, é de propriedade da AEG Live, a promotora dos Shows em Londres.
  • O médico Conrad Murrey não estaria colaborando com as autoridades para o esclarecimento das circunstâncias da morte do cantor.
  • A irmã La Toya em recentíssima entrevista afirma que a morte de Jackson trata-se de uma conspiração. La Toya alegou também que milhões de dólares em dinheiro e jóias desapareceram da casa de Jackson no dia que ele morreu.
  • Sua enfermeira particular só falou com ele CINCO dias antes sua “morte”, pois ele havia ligado para dizer-lhe que não estava passando bem e que precisava de remédios. (Não seria de esperar que ela fosse imediatamente dar assistência ainda mais agora às vésperas de começar uma grande turnê de 50 shows em Londres?)
  • A foto da ambulância mostra a pele com tons de marrom. Já a foto que mostra a noite antes da morte, vê-se a pele extremamente pálida.
  • Num primeiro momento, as notícias eram de que a apólice de seguros que a promotora dos Shows de Michael Jackson contratou com a Loyds não cobriria a morte por overdose. Mas, de uma hora para outra, passada uma semana, bingo! Agora descobre-se que o seguro cobre sim os danos de morte por overdose. Não bastasse essa súbita mudança de abordagem, Louise Shield, chefe de comunicações da Lloyd’s Seguros, declarou que essa cláusula é “estranha” e nunca soube de um caso de seguro por overdose de drogas. Louise Shield expressou todo seu desconforto com o caso, mas não confirmou nem negou se o seguro cobria overdose.
  • Agora, além de LaToya, a própria Polícia de Los Angeles começa a dar relevância à tese de assassinato.
  • Grandes jornais começam a discorrer sobre as contradições entre os depoimentos das pessoas próximas a Jackson.
  • Surpreendentemente, o médico demorou meia hora para chamar a emergência porque, segundo ele, não sabia o endereço de onde estava (embora tivesse ido com seu carro até a casa, trabalhando lá integralmente, e morasse perto dali).
  • O autor Ian Halperin, que ‘curiosamente’ escreveu em Dezembro de 2008 que Jackson morreria em seis meses, naquela época já alegava que ele estava procurando por um novo lar na Inglaterra ou em Berlim, ou ainda em Montreal no Canadá, segundo informações do “The Canadian Press“.
  • A idosa Elizabeth Taylor pôs-se a postar no site Twitter sobre Jackson. Mas porque sua conta no Twitter foi recém aberta antes da morte e convenientemente seu primeiro post menciona o Dr. Klein que era cirurgião plástico de MJ?
  • O pai Joe Jackson e o ‘pastor’ Jesse Jackson são vistos gargalhando poucos instantes após a morte de MJ.
  • O médico Arnold Klein não forneceu voluntariamente informações à polícia, que teve de fazer busca e apreensão em seu consultório.
  • Irmãos Jermanie e Tito declaram agora que não viram o corpo no caixão.
  • Na última foto em que MJ aparece sendo socorrido é possivel ver que o tubo fixador endotraqueal usado nele está posicionado de maneira errada. Na foto é possivel ver o labio superior e até mesmo o dente de MJ, oque não seria possível com o colocamento adequado do fixador.
  • O vídeo da ambulância deixando a residência também é estranho, porque as sirenes não estão soando. Normalmente as ambulâncias que carregam paciente soam a sirene.
  • Descobre-se agora que o cantor têm milhões em recursos não declarados.
  • A pessoa que ligou para o 911 não se identificou, o que é um procedimento padrão para os operadores do 911. Além disso, o  operador diz: “chame-nos de volta se você precisar de mais ajuda”. Isso é completamente contra o protocolo: o operador deve ficar na linha até a chegada de paramédicos no local, porque ele não sabe se existe de fato um médico na mansão. O operador estranhamente diz para ligar novamente se necessário e desliga.
  • Em 2007 surge um anuncio de E’casanova (um dos sósias mais parecidos com o astro) para divulgar o fim de sua carreira, já que estava com uma doença muito grave, provavelmente cancer: http://i20.photobucket.com/albums/b213/ECAS/1forthosewhocare.jpg
  • Inclusive, E’casanova passou a andar com perucas lisas, porque estava careca durante o tratamento. Há suspeitas de que o sósia sim tenha morrido, por sinal, careca (como foi divulgado q MJ estava ao morrer). Ele era moreno, como Michael no começo de carreira, mas se maquiava com a mesma maquiagem que Michael usava para deixar a pele homogênea devido ao vitiligo, e ficava branco como ele.
  • O médico recém contratado de Jackson curiosamente estava “financeiramente suscetível”, visto que tinha milhares de dólares em contas não pagas e um histórico econômico de insolvência.
  • No fim de julho a Cozinheira Chefe dá entrevista : “Jackson me disse: ‘Estou com as malas prontas e preparado para ir’. Dois dias depois, ele estava morto.” Malas feitas semanas antes da viagem?
  • São absolutamente inverossímeis os relatos de que não foi aplicada desfibrilação em Michael Jackson pelo médico Conrad Murray. Ora o sujeito ganharia 300mil por mês enquanto que a bugiganga do desfibrilador custa 6mil. Então, o cardiologista não tinha o aparelhinho?
  • Na casa do Michael tinha alguém muito doente, que precisava de dois tanques de O2 toda noite, agora com certeza esta pessoa não era ele. Como alguém que necessita de tanto oxigênio durante a noite, se levanta normalmente no outro dia, sem aparência alguma de estar doente (como disse a cozinheira e nas próprias imagens do ensaio – nelas o Michael está lindo e charmoso, (um pouquinho magro) mas não tem aparência nenhuma de debilitado, velho e doente, como disseram os paramédicos, e consegue dançar por mais de três horas sem manifestar nenhuma falta de ar?!
  • Em 07/08/2009 a família pede uma TERCEIRA AUTÓPSIA DO CORPO. Do portal Terra: Família quer mais um exame no corpo de Michael Jackson. A matéria também fala sobre “uma blusa feminina, ainda com a etiqueta da compra, foi encontrada suja de sangue no armário de Michael Jackson”. As duas coisas são evidentemente suspeitas e fazem surgir as perguntas: – Com os modernos meios que se dispõe no país de Obama, repetir três vezes o mesmo procedimento ? Qual a razão da inquietação persistir? Por que não há nas notícias qualquer menção de realização de exames de DNA, que com as transformações físicas seria imprescindível, então qual a necessidade de uma terceira autópsia? Qual a razão de haver uma blusa ensanguentada no quarto, e por qual motivo não foi levada também a exame?
  • Produtor de Michael falou no memorial que teria estado com ele depois de 26 de junho. (Ortega deu  mole!)
  • Relatórios de exame médico feito com Michael Jackson pelo doutor David Slavit, justo antes de assinar os contratos da turnê, simplesmente desapareceram. Slavit, em seu relatório, disse que o cantor tinha um “corpo de astronauta” e podia fazer tranquilamente todos os 50 concertos programados para Londres. O resultado deixou os seguradores de Michael pasmados, quando exame do Dr. David Slavit apontou que o cantor tinha plenas condições de realizar os shows.
  • O motivo da para a retirada do cérebro não faz sentido algum. Segundo o Patologista Howard Robin, ex-chefe do IML de San Diego, na Califórnia, no caso de Michael o exame cerebral era obrigatório pois “só fazendo cortes no cérebro seria possível determinar se Michael sofria de um tipo mais grave de lúpus, o lúpus sistêmico”. Só que o lúpus sistêmico deixa rastros perceptíveis em todos os órgãos atingidos. E afinal qual a razão de submeter o cadáver a esse exame sendo que a doença já era atestada em vida?
  • Sites conceituados estão divulgando que Michael Jackson teria sido enterrado secretamente durante um fim de semana. É um despropósito total. Qual o objetivo de um enterro secreto? Não se tem notícia de que quaisquer outros artistas tenham recebido tal tratamento, que é, sobretudo, desrespeitoso para com amigos e admiradores. É certo que se tente evitar a idolatria. Mas Jackson não é Moisés nem Jesus Cristo. Tal atitude somente vem reforçar a tese de que tudo não passa de uma conspiração.
  • Qual a razão para se ocultar resultados da autópsia quase dois meses após a morte? Esse tipo de exame, numa investigação criminal amiúde, não precisa ficar sob sigilo, principalmente tratando-se de pessoa pública. (Lembre-se do caso de John Kennedy, que ele teve uma autópsia pública, filmada, fotografada e divulgada.)
  • Uma semana antes da morte, Michael teria ligado para Britney e falado em aposentadoria, “antes que o show business engula a pessoa”.
  • Segundo o jornal The New York Post, o caixão de Michael Jackson estava vazio durante toda a cerimônia no Staples Center.
  • Há uma contradição fatal no depoimento do médico de Jackson: ele diz que “por volta das 11 horas, após uma curta ida ao banheiro, viu Jackson sem respiração e começou a tentar reanimá-lo”. Acontece que uma ambulância não foi chamada até 12h21 e nesse meio tempo as chamadas de telefone celular do médico nada tinham a ver com procedimentos de emergência, segundo a polícia.
  • O cerceamento de defesa imposto ao médico Murray é inexplicável, ainda mais se considerada a tradição de proteção aos direitos individuais nos Estados Unidos. Apenas se está dando ao advogado do médico acesso a um breve resumo da autópsia, em manobra que tida como ‘trapaça’ do legista.
  • Não há razões plausíveis para uma pessoa com fama tal qual a de Michael Jackson não ter sequer um fotógrafo no momento do sepultamento. (“Nem tente vir porque não verão nem o verde da floresta de Forest Lawn”, alertou o sargento Tom Lorenz aos seguidores do artista.)
  • O sinal de transmissão para as TVs foi bruscamente cortado durante o funeral, especificamente no momento em que haveria, teoricamente, uma maior exposição do corpo.
  • É inexplicável que Michael Jackson tivesse um arquivo de 600 páginas no FBI – a troco de quê? (Para comparação, Marilyn Monroe tinha uma ligação furtiva, mas direta, com o presidente Kennedy na época da guerra fria, contudo seu arquivo no FBI era de apenas 97 páginas)
  • Um dos cirurgiões plásticos de Michael, o famoso Steven Hoefflin, vem a público dizer que tem evidências envolvendo uma conspiração no caso da morte, inclusive de muita corrupção na polícia de Los Angeles na investigação do óbito do cantor. Ele reclama da obstrução feita em seu levantamento particular que vinha elaborando sobre o sinistro ocorrido com o astro, acusando a existência de falsificação de documentos inclusive. E, finalmente, ele reclamou com um militar aposentado para que se leve a efeito uma investigação no Congresso dos Estados Unidos sobre a corrupção da polícia no caso Jackson. Quem é esse militar fora de cena que foi convocado pelo cirurgião?
  • Antes da ‘morte’ as notícias eram de ‘magreza somali’, câncer, e aparência moribunda. Agora necropsia aponta peso ideal, força e excelente saúde. A mesma pessoa?
  • Havia impedimento jurídico ao cumprimento do contrato de shows em Londres. O cantor teria se comprometido a fazer uma apresentação em julho de 2010 ao lado do Jackson Five e de sua irmã Janet Jackson, e de acordo com uma cláusula do contrato, não poderia fazer shows antes do encontro.
  • O cantor já havia planejado procedimentos fúnebres para julho de 2009 (ele encontraria o “Dr. Morte” em julho, mas parece que teria antecipado a consulta?).
  • Em janeiro de 2009, a morte era anunciada como devendo ocorrer em breve.
  • O IML de Los Angeles sempre usa sacos azuis com seu logo para transporte de corpos. Qual o motivo do transporte do cadáver de Jackson dar-se em saco branco?
  • Nos seis meses que antecederam seu desaparecimento, o número de processos de indenização contra MJ aumentou consideravelmente, como se nota da relação de ações propostas: em janeiro/09, o diretor de Thriler; em fevereiro/09, um cantor africano; em março/09, o príncipe do Barein; em abril/09, a tal da Billie Jean em pessoa e a atriz de Thriller ;  em maio/09, ex-publicitário e porta-voz; mesmo em junho/09 por um promotor de shows. E os pedidos eram de milhões ou bilhões. Para alguém já em bancarrota, fugir não seria boa solução?
  • Segundo Randy Jackson, a assinatura no Testamento de Michael Jackson é falsa, uma vez que na data da suposta subscrição o cantor estaria em Nova York e não em Los Angeles, onde lavrado o documento. Isso mais uma vez levanta a suspeita da utilização de pessoas interpostas (sósias) do cantor, já desde longa data.
  • O filme This Is It foi produzido com a tecnologia IMAX, cujos custos e dificuldade de produção são absurdamente desanimadores, sendo evitado mesmo em muitas das maiores produções cinematográficas já vistas. Mas no caso de MJ, tudo isso foi usado para gravar um ensaio?
  • No filme não há menção da morte em qualquer parte, não há “RIP” não há datas. Nada. Se alguém estivesse isolado em uma caverna nos últimos meses e fosse ver o filme, não iria se dar conta através da película que MJ teria morrido.
  • O Dr. Murray estava contratado para prestar assistência médica a Michael Jackson em Londres. Ocorre que ele não tinha licença para prática da medicina na Inglaterra.
  • O filme Gilda, de 1946, foi usado por Michael como base para a nova performance de “Smooth Criminal”. Na história, o marido de Gilda forja a sua própria morte.
  • Em fins de outubro, renuncia ao cargo o Chefe maior do Departamento de Polícia de Los Angeles, William Bratton,  após anos a frente da instituição. A renúncia teria sido súbita, a fim de que ele passe a trabalhar no setor privado em Nova York. Quem assumiu a chefia? Charlie Beck, o encarregado das investigações sobre Michael Jackson.
  • Contrato de locação dos equipamentos de filmagem dos ensaios de This Is It com a empresa Audi A4 Video Digital Inc terminava justamente  25/06/09, dia da suposta morte.
  • Ligação para emergência pedindo socorro para Michael Jackson partiu de hotel

Os “motivos” mencionados acima foram retirados de vários blogs e sites relacionados ao assunto. O principal foi: http://tony15007.wordpress.com/

Michael Jackson está vivo?!

Desde o anúncio da “morte” de Michael Jackson, em 25 de junho de 2009, muito tem se especulado acerca das informações veiculadas sobre o fato. Todos os envolvidos no caso são contraditórios, a polícia não conclui absolutamente nada e ninguém sabe o que realmente aconteceu.

Muitas pessoas acreditam que tudo pode ter sido uma farsa, uma vez que a necessidade que Michael tinha de viver e se livrar da perseguição da mídia é conhecida por muitos, especialmente os fãs.

O objetivo desde blog é reunir fatos que indiquem a possibilidade de Michael estar vivo, e promover uma interação entre fãs e interessados no caso.

Enjoy!